Mais que uma homenagem, o Dia Internacional da Mulher, definido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como 8 de março, marca a luta contínua por conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres.

Apesar dos conhecidos marcos históricos voltados para a classe trabalhadora, quando as mulheres se manifestavam contra a exploração resultante da Revolução Industrial, podemos destacar, também, a resistência feminina na luta pelo direito à educação, pelo direito ao voto, no combate à violência física e psicológica.

Seria injusto ou impreciso afirmar que um acontecimento isolado seja o motivo principal da criação do Dia Internacional da Mulher, como a famosa história sobre a morte de mais de uma centena de tecelãs numa fábrica em Nova Iorque (EUA) no ano de 1857.

O marco do Dia Internacional da Mulher busca reforçar, além da melhoria e ampliação de direitos trabalhistas, a presença feminina nos ambientes de discussão política, em sindicatos e cargos eletivos, a defesa de igualdade econômica e direitos sociais, a liberdade e integridade física, psicológica e sexual.

Para lembrar o significado dessa data, a Diretoria Nacional do SINPAF apresentará, ao longo do mês de março, mulheres do movimento sindical, empregadas de empresas da base do SINPAF, ativistas pelos direitos femininos, funcionárias da própria Diretoria Nacional que, como a maioria das pessoas, atuam anonimamente na construção da luta por uma sociedade mais justa e igualitária.