SINPAF condena tentativa de retrocesso da Codevasf após acordo firmado no judiciário

Por: Diretoria Nacional | | Notícias gerais

No último dia 11/09, SINPAF e Codevasf construíram um acordo, mediado pelo judiciário, para garantir as medidas de isolamento aos trabalhadores e trabalhadoras da empresa frente a pandemia da Covid-19.

Como resultado, o sindicato e a empresa concordaram em garantir medidas de isolamento, com a concessão de trabalho remoto para diversos setores, sendo essa modalidade compulsória para aqueles que pertencem aos grupos de risco, a partir do dia 15/09. Acesse aqui o Acordo firmado.

Lamentavelmente, apenas um dia após a implementação das medidas acordadas em juízo a Codevasf alega não ter condições de manter o funcionamento de diversas atividades, requerendo assim flexibilização das medidas.

Entenda como o acordo foi elaborado:

Após questionamento judicial feito pelo SINPAF em defesa de seus trabalhadores frente a pandemia, foi solicitada audiência de mediação, oportunidade em que a Juíza responsável propôs a construção de um acordo que pudesse atender aos interesses de ambos, empresa e Sindicato.

A Juíza então requereu que a Codevasf apresentasse os setores e as atividades que poderiam ser colocadas em trabalho remoto sem prejudicar o funcionamento da empresa, bem como ao atendimento prestado à sociedade.

Somente a partir das informações prestadas pela empresa do que poderia ser flexibilizado é que o acordo foi construído. Na ocasião o SINPAF fez diversas concessões por entender que nenhuma atividade poderia ser prejudicada, desde que a empresa garantisse a segurança dos trabalhadores.

No intuito de fiscalizar, acompanhar e sobretudo auxiliar a empresa com a implementação do acordo, o Sindicato requereu por diversas vezes que a Codevasf apresentasse listagem com os nomes e o quantitativo de empregados que seriam colocados em atividade remota. Lamentavelmente, a empresa não a apresentou até o momento!
Entretanto, após construir e aceitar o acordo, a Codevasf agora alega que ele trará prejuízo às atividades e à sociedade, em uma evidente falta de planejamento e de conhecimento do dia-a-dia da empresa.

Por essa razão, o SINPAF repudia a postura da Direção da Codevasf, salientando que as medidas implementadas não foram resultado de uma imposição do judiciário e muito menos do sindicato, ao contrário, foram construídas conjuntamente.

O SINPAF continua vigilante na defesa da vida e da saúde dos trabalhadores e trabalhadoras!

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco