Homenagem do SINPAF ao professor Pinheiro Machado

Por: Camila Bordinha em Sexta, 10 Julho 2020 | Categoria: Notícias gerais

Foto: Divulgação UFSC

A Diretoria Nacional do SINPAF não poderia deixar de prestar sua homenagem ao professor Luiz Carlos Pinheiro Machado, neste dia em que completa uma semana de seu falecimento.

Pinheiro Machado era engenheiro agrônomo, doutor em agronomia e catedrático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - URGS e titular da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Foi também docente na Universidade Católica Argentina e na Universidade de Buenos Aires.

Ao longo de sua vida foi um incansável questionador do modelo dominante e hegemônico do chamado agronegócio, deixando um legado de grandes contribuições a sistemas integrados, biodiversos, agroecológicos, cooperativos e democráticos. Durante décadas, trabalhou na construção de processos de conversão agroecológica junto aos agricultores familiares, considerando o PRV (Pastoreio Racional Voisin) o grande eixo estruturante da agroecologia, por intermédio de várias pesquisas, publicações, participação em eventos e como professor em diversos cursos.

Nos anos oitenta, motivado pelo sonho e pela perspectiva democrática apontada pela Nova República, Pinheiro Machado é convidado a assumir a presidência da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa. Porém, seu projeto de construir uma empresa estratégica, democrática e que viabilizasse um outro modelo de agricultura, de desenvolvimento e fundamentado na soberania alimentar de nosso país, não foi aceito pelas forças conservadoras e pelos interesses do agronegócio. Dessa forma, Pinheiro Machado permaneceu apenas onze meses à frente da presidência da Embrapa e não conseguiu levar adiante seu projeto e seu sonho.

Contudo, Pinheiro Machado não esmoreceu e continuou trabalhando arduamente nessa perspectiva em várias outras frentes deixando uma contribuição extraordinária para o desenvolvimento da agricultura de nosso país em outras bases.

Pinheiro Machado deixa um legado de luta e de acúmulo por um modelo de agricultura mais ecológica, com distribuição da riqueza gerada, com equidade e por uma sociedade mais democrática, justa e fraterna.

Continuaremos lutando para que esse sonho se torne realidade.