Embrapa retarda resposta sobre supressão dos 15 minutos intrajornada das trabalhadoras

Embrapa retarda resposta sobre supressão dos 15 minutos intrajornada das trabalhadoras

Por: Camila Bordinha | | Notícias gerais

O SINPAF aguarda, ainda, o desfecho da negociação da Embrapa com a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST), do Ministério do Planejamento, sobre a supressão da exigência do intervalo intrajornada de 15 minutos para as mulheres, previsto no artigo 384 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O retorno da empresa é aguardado desde o dia 15 de dezembro de 2016, ocasião em que o SINPAF reuniu-se com o subprocurador geral do Ministério Público do Trabalho (MPT), Ricardo José Macedo de Britto Pereira, que concluiu ser possível a supressão da exigência do intervalo dos 15 minutos com uma "contrapartida" por parte da empresa.

"As trabalhadoras da Embrapa resolveram a parte mais difícil desse processo, que foi conseguir, através dos documentos e relatos juntados na campanha dos 15 minutos, sensibilizar o MPT, para que esse se propusesse a mediar tal acordo", afirmou o presidente do SINPAF, Carlos Henrique Garcia.

Porém, até o momento, a empresa não apresentou nenhuma solução para o problema. "Aguardamos agora que a diretoria da empresa coloque em prática seu discurso, materializado, inclusive, em manifesto de apoio assinado por diversos gestores em reunião ocorrida no final de 2016", cobrou o presidente do SINPAF. 

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco