21ª Plenária Nacional elege Comissão Eleitoral Central de 2022 e finaliza com debate sobre Teletrabalho e Plano de Ação

21ª Plenária Nacional elege Comissão Eleitoral Central de 2022 e finaliza com debate sobre Teletrabalho e Plano de Ação

Por: Camila Bordinha | | Notícias gerais

Finalizada neste domingo (5), a 21ª Plenária Nacional do SINPAF aprovou, por maioria dos delegados, a previsão orçamentária da Diretoria Nacional para 2022, que já tinha sido apresentada no dia anterior pelo Diretor Administrativo-financeiro, Antônio Aparecido Guedes.

ELEIÇÕES

O diretor jurídico do SINPAF, Adilson F. da Mota, conduziu a apresentação, debates e votação do Regimento e da Comissão Eleitoral Central (CEC) para a Eleições do SINPAF 2022, em setembro deste ano, que vai escolher a Diretoria Nacional (DN) e a Auditoria Fiscal Nacional (AFN) do período 2022/2025.

Após sugestões para realização das Eleições do SINPAF 2022 de forma híbrida (virtual e presencial), os delegados decidiram manter o formato presencial, com 37 votos. Para o formato eletrônico foram 16 votos e 2 abstenções.

O Regimento Eleitoral foi aprovado por maioria dos delegados presentes, com apenas 1 abstenção.

A Comissão Eleitoral Central (CEC) também teve apenas 1 chapa candidata, que foi aprovada pela maioria dos delegados presentes, com apenas 3 votos contra e 2 abstenções. Confira abaixo a composição da CEC eleita para as Eleições do SINPAF 2022:

Titulares: Marco Antonio da Cruz Borba – Seção Sindical Embrapa Sede; Lucas Conceição de Freitas – Seção Sindical Codevasf Sede; e Rodrigo Correa Serpa do Prado – Seção Sindical Cerrados.

Suplentes: Alessandra Souza Perez Rivera – Seção Sindical Cerrados; Neio Lúcio Ramos Silva – Seção Sindical Gado de Leite; e Eraldo Ferreira Rodrigues – Seção Sindical Pará.

TELETRABALHO

No final da manhã, os delegados assistiram à apresentação do assessor jurídico do SINPAF, Filipe Ferracin (LBS Advogados), e de Patrícia Vieira, da Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET), sobre “Teletrabalho: adaptação a um novo momento ou superexploração da classe trabalhadora.”

Patrícia Vieira apresentou resultados da pesquisa, realizada em parceria com o SINPAF, com trabalhadores e trabalhadoras que fizeram regime de teletrabalho na Embrapa e na Codevasf.

Já Filipi Ferracin mostrou os dispositivos jurídicos (Constituição, CLT, normas e decretos), que tratam sobre o Teletrabalho, assim como as ações coletivas ajuizadas pelo SINPAF Nacional para manutenção de teletrabalho e revezamento, na Embrapa e na Codevasf, durante o período da Pandemia da Covid-19.

Clique aqui para assistir à apresentação.

PLANO DE AÇÃO

Os delegados da plenária aprovaram, por unanimidade, um plano de ação que definiu diversas atividades, a serem realizadas tanto pela Diretoria Nacional quanto pelas Seções Sindicais, de mobilizações sobre as campanhas salariais, teletrabalho, relações institucionais com a CUT e demais entidades sociais, com parlamentares, atos e assembleias com a categoria, combate ao assédio moral e sexual, defesa da Embrapa e Codevasf públicas, democráticas e inclusivas, campanha de filiação, entre outras demandas sindicais e trabalhistas.

MOÇÕES E ENCAMINNHAMENTOS

Os delegados aprovaram, por unanimidade, um encaminhamento em atendimento à decisão da 19ª plenária, para garantir a participação das mulheres nas instâncias do SINPAF, a criação de um núcleo de mulheres, formado com as delegadas da 21ª Plenária Nacional, a organização de seminário de assédio moral e de assuntos de relevância para as mulheres, e garantir condições materiais e financeiras para participação de filhos menores de idade e cuidadores.

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco