SINPAF ajuíza ação contra erros no contracheque da Embrapa

SINPAF ajuíza ação contra erros no contracheque da Embrapa


Após tentativas sem êxito de resolver a questão por via administrativa, a Diretoria Nacional do SINPAF teve que acionar a justiça para que a Embrapa corrija urgentemente os erros no sistema da folha de pagamento e repare os prejuízos financeiros causados aos trabalhadores e trabalhadoras por essa falha de gestão.

Desde outubro de 2020, o SINPAF tem recebido reclamações vindas de empregados/as de muitas unidades da Embrapa que tiveram erros grosseiros em seus contracheques.

Conforme documentos que o SINPAF teve acesso, houve caso de trabalhador que recebeu indevidamente cerca de R$ 8 mil e foi advertido pela empresa a fazer a devolução em parcela única por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU). Como a GRU não é nominal, isso pode se tornar um infortúnio para o empregado/a comprovar a devolução do dinheiro ao governo federal. 

Em outras situações, o salário do empregado foi pago abaixo do valor devido, com eventual correção do pagamento em folha adicional. Porém, ao invés de resolver definitivamente o problema, a Embrapa cometeu o mesmo erro no mês subsequente.

 De acordo com o diretor Jurídico do SINPAF, Adilson Mota, essas situações “têm deixado a categoria insegura, angustiada e aflita. Todo mês é uma expectativa para ver se haverá uma quantia depositada a mais ou a menos no banco.”

“Os trabalhadores/as estão convivendo com a dúvida a respeito de seus salários. Por exemplo, o demonstrativo de pagamento no sistema da Embrapa não é compatível com as informações no sistema do governo. Isso nunca aconteceu antes. A empresa não consegue resolver o problema e, enquanto isso, é o empregado/a que está arcando com todo o prejuízo de juros e correções monetárias de suas contas por não receber o salário corretamente”, disse o diretor.

Todo esse imbróglio tem causado transtorno também nos descontos do INSS e FGTS. “Esses descontos são realizados com base no salário. Se o empregado receber um valor a menos, consequentemente, terá esse desconto reduzido. E isso é um problema: erros no pagamento do INSS e do FGTS são mais complexos para serem corrigidos posteriormente”, explicou Adilson Mota.

Após protocolo do processo,  pela LBS Advogados, a Justiça do Trabalho marcou a primeira audiência para o dia 1º de julho deste ano. O SINPAF tentará antecipar essa audiência.

 “Buscamos somente defender e preservar o direito dos trabalhadores e das trabalhadoras. É um absurdo a Embrapa ter investido dinheiro público em um sistema que não funciona e que ainda tem causado problemas financeiros para os empregados/as e para a própria empresa. A Gestão Moretti parece fazer de conta que essa situação não existe, porque até agora nada foi feito para resolução definitiva dessa questão que mexe com os salários e a vida das pessoas”, ressaltou Marcus Vinicius Vidal, presidente nacional do SINPAF.

REPÚDIO: A Diretoria Nacional do SINPAF manifesta seu repúdio ao descaso e a incompetência com os quais a Gestão Moretti vem tratando essa questão dos contracheques, que afeta os salários dos empregados/as e perdura há meses sem qualquer solução.

O SINPAF continuará vigilante contra quaisquer irregularidades administrativas que prejudiquem os trabalhadores e trabalhadoras da sua base.

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco