A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou nesta quinta-feira (2), em nota pública, que a pesquisa brasileira sofrerá uma série de prejuízos se o governo mantiver a proposta orçamentária definida para a instituição em 2019.

Caso seja mantido o teto de repasse pré-definido pelo Ministério do Planejamento, os impactos serão graves para os programas de pesquisa da Capes, da Embrapa e de tantas outras instituições de fomento à pesquisa do país.

A primeira versão do documento propõe uma redução de cerca de R$ 500 milhões inferior ao orçamento aprovado para 2018. Em razão da insuficiência de recursos, poderá haver suspensão de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado a partir de agosto de 2019, afetando 93 mil estudantes e pesquisadores.

O corte de orçamento para pesquisa é mais uma consequência da Emenda Constitucional 95, que também está precarizando a saúde e a educação dos brasileiros.