Após três dias de debates, a 22ª Plenária Regional Sul encerrou na manhã desta quarta-feira (7), em Bento Gonçalves, com a participação de 40 pessoas, entre delegados e convidados.

Temas como o enfraquecimento da representação sindical com a aprovação da Reforma Trabalhista, a omissão de informações por parte da Embrapa sobre o Plano de Demissão Incentivado (PDI) e o Plano de Cargos da Embrapa (PCS) e o lançamento da moção de repúdio contra os recentes processos de demissão da empresa foram destaques dos debates.

Em cumprimento a deliberação do 12º Congresso, a plenária escolheu dois representantes sindicais da Região Sul, titular e suplente, para compor a Comissão Nacional de Negociação (CNN) do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2018-2019.

A suspensão temporária da votação da Reforma Previdenciária também foi um assunto bastante provocativo para o plenário. Segundo os delegados, esse adiamento da Reforma não é mais que estratégia política por estarmos em ano eleitoral.

Em virtude desse debate, os dirigentes deliberaram pela realização de uma campanha contra a reeleição dos políticos que votam a favor da Reforma Previdenciária e da retirada dos direitos dos trabalhadores brasileiros.

Para encerrar a programação, os delegados visitaram nesta manhã a unidade da Embrapa Uva e Vinho, com o objetivo de conhecer as instalações da empresa e o ambiente de trabalho local.

De acordo com o diretor Regional Sul, Felipe Haubert Pilger, a plenária teve os embates esperados, porém também houve avanço na discussão dos temas.

“Os desafios são grandes e a gente tem muito ainda para evoluir como sindicato, mas o que conseguimos construir aqui já faz um bom tempo que eu não vejo dentro do SINPAF: debates construtivos, amplos e pautados com respeito”, finaliza Pilger.