POR QUÊ SER FILIADO AO SINDICATO?


Por: Carlos Roberto Bernardi, Diretor de Formação Sindical do SINPAF e

Nilson Carrijo, Presidente da Seção Sindical Cenargen

Ouvi uma vez de uma colega a frase: “para que eu vou ser filiada, sair no sol para protestar se no final eu serei beneficiada como todos os outros? ”.

É importante esclarecer que um sindicato não luta somente por ganho salarial, mas também pela defesa dos direitos e interesses individuais e coletivos de sua base.

O país atravessa um momento político agitado e passa por grandes reformas políticas. O movimento sindical não pode se omitir de participar e ajudar a sociedade nas mudanças.

Em sua história, os sindicatos lutaram por melhores condições de trabalho e salários dignos, tendo como objetivo principal impedir que os níveis salariais fiquem abaixo do mínimo necessário para a manutenção e sobrevivência do trabalhador e sua família.

Os sindicatos são instituições reconhecidas e consolidadas na sociedade, atuando como fator de regulamentação e fiscalização dos salários, da jornada de trabalho e da legislação social, e indispensáveis nas negociações com os empregadores.

O status adquirido pelos sindicatos e os benefícios alcançados pelos trabalhadores foram conquistados através de duras lutas e greves. Lutas que ainda não terminaram, pois as classes patronais e os governos continuam defendendo posições alegando que os direitos adquiridos pelos trabalhadores colocam em risco a existência das empresas.

Robert Reich, em entrevista à Revista Época de 04 de novembro de 2013 cita que: “A sindicalização, ao distribuir a renda, mostrou-se benéfica para as corporações e para os ricos, assim como para a classe média”, e dessa forma alavancou o crescimento econômico dos Estados Unidos no pós-segunda guerra mundial. Mas Robert Reich faz um alerta, de que um dos fatores que levaram à redução do crescimento e da distribuição de renda nos Estados Unidos da América após o final da década de 1970 foi o enfraquecimento dos sindicatos.

Reich cita ainda que: “Nos Estados Unidos, há uma relação direta entre o declínio da sindicalização e o declínio da classe média. Os sindicatos deram aos trabalhadores o poder de barganha de que eles necessitavam para obter um pedaço justo dos benefícios do crescimento econômico. Sem os sindicatos, os trabalhadores não têm poder de pressão”.

Esse é um fator importante a ser analisado na atual conjuntura política e do movimento sindical no Brasil. Observa-se um enfraquecimento desse movimento a partir do engajamento das centrais sindicais com os partidos políticos e, em especial, da maior central sindical brasileira engajada na defesa do governo central, ao invés de fortalecer a luta e a defesa dos interesses dos trabalhadores.

Vários sindicatos têm demonstrado preocupação com a falta de engajamento político e sindical dos trabalhadores, bem como do seu distanciamento da entidade que os representa.

O jornal O Repórter, em página on line de 2010, cita que “a baixa adesão dos trabalhadores às associações de classe foi um dos destaques da mais recente pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT/ Sensus) – 82,5 por cento dos brasileiros dizem não ter vínculo com essas entidades. O número aponta para uma descrença da população num setor criado para fortalecer as categorias profissionais e atuar em sua defesa”.

Está bem claro que o Sindicato é importante para todas as categorias profissionais, pois se trata de uma organização que defende políticas coletivas e que luta pelo progresso dos trabalhadores. Entretanto, ainda existem pessoas que não sabem como ele funciona, nem como exatamente pode beneficiar o trabalhador. Contudo, vale ressaltar que, primeiramente, tal entidade significa a força que o trabalhador sozinho não consegue ter, lutando para que os direitos dos trabalhadores sejam cumpridos.

É importante falar de sua importância para que as pessoas possam interagir mais e saber como exigir o que lhe é de direito.  O país está vivendo um momento político cada vez mais agitado com grandes reformas importantes. A sociedade se mobiliza no sentido de alcançar consenso em todos os segmentos envolvidos, representando uma grande chance de ser escrita uma bela página do movimento sindical.

Em regra, o sindicato se caracteriza como forte e atuante quando se destaca não apenas em movimentos sindicais, mas quando reivindica, atende e produz resultados positivos para a categoria que representa, não podendo fazer mais do que a lei determina, devendo fazer tudo que for possível para favorecê-la e buscando os direitos e garantias para que seja sempre beneficiada.

As boas entidades sindicais devem obrigatoriamente defender e fazer valer os direito e interesses individuais e coletivos de sua base. Devem estar sempre informadas e atualizadas, de forma a manter a união de toda a classe, atitude essa que trará melhores condições de vida e de trabalho a todos os seus filiados.

Vale lembrar que a classe trabalhista precisa ter mais participação nos movimentos sindicais, procurando se interessar mais por eles. É natural em qualquer categoria profissional que os empregadores meçam o poder de negociação do sindicato de trabalhadores na proporção da união e da mobilização de cada categoria profissional.

Se a presença dos empregados for reduzida nas assembleias (os empregadores adotam mecanismos para tomar conhecimento disso), presume-se que a entidade representativa dos trabalhadores se encontra sem poder de reação frente a eventuais recusas patronais em negociar adequadamente. Na maioria das vezes, este fato inibe o sindicato a manter ou avançar nos direitos durante a negociação. Sendo assim, cada trabalhador deve acompanhar o trabalho e o desenvolvimento sindical.

Os sindicatos também oferecem benefícios aos trabalhadores, reservando alguns direitos aos que são filiados. Ao celebrar convênios, possibilitam uma boa condição e estrutura de vida, nas áreas de saúde, lazer, assessoria jurídica, entre outras.

O trabalhador deve lembrar-se de que o Sindicato é a casa do trabalhador, o local onde ele encontra abrigo nas horas de dificuldades. Mas o trabalhador deve cuidar dessa sua casa. Deve ficar atento e conhecer sobre tudo o que está acontecendo na entidade sindical, para que efetivamente atue em defesa de seus direitos e garantias, e que produza melhores condições de vida e de trabalho a todos os filiados.

Sindicalizar-se é mais do que participar da sua entidade de representação, é exercer sua cidadania, é valorizar sua profissão e seu trabalho, é lutar por seus direitos já conquistados e ampliá-los. Em resumo, podemos dizer que os trabalhadores encontram no sindicato uma tribuna de expressão pessoal que não seria possível de outra forma. Filie-se e garanta seus direitos de trabalhador.

A UNIÃO DE TODOS PELO MESMO PROPÓSITO GERA ACONTECIMENTOS POSITIVOS PARA GRANDES CONQUISTAS.

| Mais do Sinpaf

Comunicado sobre o recesso de Carnaval no SINPAF

A Diretoria Nacional do SINPAF informa aos filiados que, em virtude do feriado de Carnaval, a sede do Sindicato, em Brasília-DF, não funcionará de segunda (24) a quarta-feira (26).  As atividades voltarão à normalidade na quinta-feira (27), de 8h às 17h.

Saiba mais

SINPAF divulga novo calendário das Plenárias Regionais 2020

As informações e a pauta das Plenárias serão enviadas por e-mail para todas as Seções Sindicais.

Saiba mais

SINPAF retoma contato com filiados e participa de assembleia na Embrapa Cerrados que aprovou pauta de reivindicação

Nesta quinta-feira (20/2), a nova Diretoria Nacional do SINPAF (DN) retomou o contato com os filiados, começando as visitas pela Embrapa Cerrados, em Planaltina-DF, há cerca de 40 km de Brasília-DF.

Saiba mais

SINPAF indica novos membros da Comissão Eleitoral do Consad da Embrapa e pede prorrogação do Pleito

A Embrapa já nomeou os três representantes dos trabalhadores na Comissão Eleitoral para o Conselho de Administração (Consad), indicados pela Diretoria Nacional do SINPAF. Os novos membros são: Marco Antônio da Cruz Borba (Embrapa Cerrados), Shirley da Luz Soares Araújo (Embrapa Cerrados) e José Ferreira (Embrapa Sede).

Saiba mais

Nova direção do SINPAF retoma relação com movimento social e sindical

A solenidade de posse da Diretoria Nacional do SINPAF, realizada na última sexta-feira (14/2), na sede do Sindicato em Brasília-DF, contou com a presença de cerca de 100 pessoas, entre filiados, seções e centrais sindicais, instituições ligadas às empresas da base (Embrapa, Codevasf, Emepa, Emparn e Pesagro) e diversos representantes de organizações, movimentos sociais e sindicatos de trabalhadores de empresas e serviços públicos.

Saiba mais

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo.

Fale conosco