Quantos terão que morrer?

A Embrapa ainda não se deu conta que preservar a segurança e a saúde dos trabalhadores e trabalhadoras é o caminho para a manutenção da Empresa. Parecem estar mais preocupados em manter seus assentos. Não existe laboratório, campo experimental, casa de vegetação, gerente ou supervisor se não existir vida. E, hoje, ela está correndo risco.

Por: Vânia Ferreira | | Notícias gerais

A postura mais responsável é daquele que previne e não do que remedia.

Em meio à pandemia do Corona vírus, a Diretoria da Embrapa continua agindo de modo irresponsável.

O número de infectados aumenta exponencialmente no país, com confirmação de casos em Goiás, Bahia, Tocantins, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, entre outros locais, e os diretores continuam preocupados em fazer planos de trabalho e preencher formulários.

Ainda não se deram conta que preservar a segurança e a saúde dos trabalhadores e trabalhadoras é o caminho para a manutenção da Empresa. Parecem estar mais preocupados em manter seus assentos. Não existe laboratório, campo experimental, casa de vegetação, gerente ou supervisor se não existir vida. E, hoje, ela está correndo risco.

A notícia que circula em todos os jornais do mundo é a velocidade do alastramento do Coronavírus. Experiência de outros países demonstra que a postura mais eficaz para o controle da doença é o isolamento (distanciamento social). Na Embrapa, a liberação dos trabalhadores é a medida que precisa ser adotada para que o vírus seja contido e não se precise escolher quem deverá viver ou morrer.

Os gestores de vários estados brasileiros estão publicando decretos, restringindo a aglomeração e o convívio coletivo de pessoas. Permanece a pergunta: para que esperar mais se podemos fazer a diferença? Essa seria a escolha natural daqueles que preferem ser líderes a burocratas. A escolha entre ser subserviente ou responsável. Essas escolhas podem sinalizar a resposta à pergunta inicial: quantos terão que morrer?

Uma empresa forte é aquela que respeita a saúde e a vida de seus trabalhadores e trabalhadoras. Nessa pandemia, quanto antes nos separarmos, mais breve estaremos juntos!!!!!

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco