Nota de repúdio à chefia da Embrapa Meio-Norte

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário – Seções Sindicais Teresina e Parnaíba, subscritas pela Diretoria Nacional, vêm publicamente repudiar e lamentar a postura adotada pela Chefia da Embrapa Meio-Norte. 

Por: Camila Bordinha | | Notícias gerais

Nota de repúdio à chefia da Embrapa Meio Norte

NOTA DE REPÚDIO 

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário – Seções Sindicais Teresina e Parnaíba, vêm publicamente repudiar e lamentar a postura adotada pela Chefia da Embrapa Meio-Norte de emitir aos seus empregados inúmeras cartas de Notificações de Audiência escrita, citando a Norma de Penalidade nº 037.009.006.005, as quais têm-se mostrado desproporcionais, sem olvidar do próprio descumprimento dos prazos para julgamento (Itens 7.9 e 11.3, alínea “c”) e falta de acesso integral dos empregados aos autos do processo (Item 10.7), fulminando a ampla defesa e o devido processo legal.

Em outra banda, temos observado que as Notificações de Penalidade instadas pela Empresa por meio da Norma 037.009.006.005 estão sendo usadas em caráter autoritário e perseguidor, eliminando-se todo e qualquer diálogo prévio com o coletivo de trabalhadores. Até mesmo as comissões de sindicância, outro instrumento previsto em norma, foram praticamente abolidas, disseminando o caráter autocrático das decisões.

Contribui ainda para o cenário nefasto e desolador a demissão por justa causa aplicada recentemente a um pesquisador após um processo administrativo de desídia, que penalizou o empregado em um momento de grande crise econômica no País, tanto que a própria Embrapa sofrera com o contingenciamento financeiro e com a redução de editais de fomento à pesquisa, o que denota contrassenso da decisão tomada, uma vez que os empregados não concorreram para essa situação.

A Embrapa Meio-Norte, uma das 43 Unidades Descentralizadas da Embrapa, tem uma agenda de pesquisa voltada para as soluções tecnológicas da região. Sua história demonstra alcance de grandes feitos para o Piauí e Maranhão, estados que mudaram seu panorama agrícola recentemente. Para tentar estabelecer um efeito causal nocivo de tal forma de gestão, o atual conceito da Unidade no processo de avaliação institucional caiu drasticamente de A (2017) para C (2018), revelando o desacerto da gestão, que não pratica o diálogo com seus empregados, fomentando o medo e o descontentamento.

Ambos, empregados e empresa, são vítimas. As normas deixam de ser um norte para o bom desempenho do empregado e passam a ser uma ferramenta de abate. Isso se reflete também no abandono da UEP de Parnaíba, onde o descaso com os empregados é ainda mais notório. Controle e redução de recursos financeiros, ausência de Responsáveis Técnicos (RTs) e novos editais de projeto são questões que se arrastaram por longo tempo e contrastam com a agilidade na aplicação de penalidades, provocando um desmonte de todos os trabalhos de pesquisa.

A gestão atual encerra seu mandato em setembro de 2019 e atravessa a fase final de seu mandato com um patente rastro de beligerância, deixando vários empregados literalmente adoecidos. Prova disso é o PDI (Programa de Demissão Incentivada) aberto, em que muitos empregados com mais de 30 anos de contribuição estão deixando a empresa, em face do estado de temor existente no ambiente laboral, ratificado pelos vários procedimentos de apuração de penalidades instaurados. A gestão da Unidade pouco tem conversado com o corpo de empregados no dia a dia. Observe-se que por ocasião da saída dos empregados na primeira etapa do PDI, o Chefe Geral estará em agenda de férias.

São de causar indignação os procedimentos adotados e a falta de humanidade desta gestão. Não existe inimigo, pois todos lutam pela missão da Embrapa junto à sociedade brasileira.

Para além de qualidade de processos, a vida humana, a qualidade de vida do trabalhador deve ser respeitada. Existem medidas amargas que precisam ser tomadas, porém, há formas mais solidárias de efetivá-las, circunstância que não observamos nesta desastrosa gestão.

Juntos pela Embrapa!

Teresina, 06 de agosto de 2019.

SINPAF

Seção Sindical Teresina

Seção Sindical Parnaíba

A Diretoria Nacional do SINPAF subscreve.

| Mais do Sinpaf

SINPAF inicia negociação do ACT da Codevasf por videoconferência

“Mesmo com a pandemia do coronavírus e conjuntura adversa, o SINPAF está ativo para lutar pelos direitos dos trabalhadores. Estamos em um período de restrições econômicas e até sanitárias, mas a nossa luta precisa continuar”, enfatizou o presidente do SINPAF, Marcus Vinicius Sideruk Vidal.

Saiba mais

Sindicatos devem ser comunicados sobre acordos individuais de redução de salário

No entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), “o afastamento dos sindicatos de negociações, entre empregadores e empregados, com o potencial de causar sensíveis prejuízos aos trabalhadores, contraria a própria lógica do Direito do Trabalho, que parte da premissa da desigualdade estrutural entre os dois polos da relação laboral”.

Saiba mais

Organizações analisam medida que reduz salários e não garante manutenção de empregos

O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (MP 936/20), publicado pelo Governo Federal em resposta à crise gerada pela pandemia do Coronavírus, na última quinta-feira (2/4), permite a redução de salários, não garante que empregos formais e direitos sejam mantidos e afronta a Constituição Federal.

Saiba mais

SINPAF tem liminar favorável à manutenção do teletrabalho na Codevasf

A Diretoria Nacional do SINPAF, articulada com as Seções Sindicais que atendem trabalhadores e trabalhadoras da Codevasf, ganhou na justiça recurso contra o Comunicado 5, emitido pela empresa na segunda-feira (30/03), que restringia ainda mais o trabalho remoto como medida protetiva para evitar a proliferação do Coronavírus.

Saiba mais

Codevasf ignora coronavírus e brinca com a vida dos trabalhadores

Diante dessa postura arbitrária, a assessoria jurídica do SINPAF está atuando para tomar todas as medidas judiciais cabíveis com o objetivo de garantir a segurança e a vida dos empregados.

Saiba mais

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo.

Fale conosco