Resultado da enquete na Embrapa Meio-Norte confirma que escolha da chefia-geral deve ser democrática e participativa

Resultado da enquete na Embrapa Meio-Norte confirma que escolha da chefia-geral deve ser democrática e participativa

Por: Camila Bordinha | | Notícias gerais

Os resultados da enquete online sobre a gestão da chefia-geral da Embrapa Meio-Norte, promovida pela Diretoria Nacional do SINPAF e as Seções Sindicais Parnaíba e Teresina, que finalizou ontem (3/8), após prorrogação, mostrou que maioria dos trabalhadores e das trabalhadoras da Embrapa Meio-Norte desaprovam a chefia-geral que está encerrando o mandato (72,61% acham ruim ou péssimo).

Se o processo de escolha do chefe-geral da Embrapa Meio-Norte ocorresse de forma democrática e participativa, hoje, o selecionado seria o analista Anísio Ferreira Lima Neto (58,90%), que foi apontado como o candidato que tem mais condições em conduzir a Embrapa Meio-Norte na próxima gestão. Em segundo lugar ficaria o pesquisador Kaesel Jackson Damasceno e Silva (25,34%).

O atual chefe-geral, que deu continuidade à gestão que está há 7 anos à frente da unidade, o pesquisador José Oscar Lustosa de Oliveira Junior, ficou em último lugar entre os candidatos, com 15,75%. 

A Embrapa divulgou que as entrevistas com os candidatos serão realizadas até o dia 19 de agosto e a escolha do novo gestor da unidade acontecerá até o dia 24, com nomeação em 27 de agosto. Porém, com o reforço do resultado da enquete, o SINPAF defende que o processo de seleção do chefe-geral da Meio-Norte seja democrático, de forma que atenda às necessidades e objetivos da empresa, mas que também esteja em sintonia com as perspectivas laborais e profissionais de todos/as os/as trabalhadores/as da unidade.

De acordo com o presidente da Seção Sindical Teresina, Maurício Castelo Branco Santana, a definição do chefe-geral da Unidade Meio-Norte reflete em todo o ambiente laboral. “Por isso é imprescindível a participação dos trabalhadores e trabalhadoras da Embrapa no processo de escolha dos seus gestores, a exemplo de outras empresas públicas”, informou Maurício.

Para o presidente da Seção Sindical Parnaíba, Silvestre Moreira, a resposta dos trabalhadores através da enquete demonstra a insatisfação generalizada e o clima tóxico deixado pela recente chefia. “A escolha do novo chefe-geral pode ser um divisor de águas entre a continuação do desmonte ou a revitalização real da unidade em Parnaíba. O que nós, trabalhadores e trabalhadoras queremos é que o próximo chefe seja uma pessoa que reconheça a necessidade da Embrapa em Parnaíba, assim como valorize o trabalho de quem está aqui no desenvolvimento da região”, explicou Silvestre.

E o presidente nacional do SINPAF, Marcus Vinícius Sidoruk Vidal, afirma que o resultado da enquete mostra a necessidade de que a escolha do chefe-geral da Embrapa Meio-Norte tenha a participação de todos/as os/as trabalhadores/as da unidade. “O SINPAF defende uma Embrapa Pública, Democrática e Inclusiva. Mas para que isso aconteça, é preciso que a gestão da empresa ouça os trabalhadores/as e que esses participem ativamente dos processos de escolha das chefias, para que a empresa não seja aparelhada por um mesmo grupo político. A Embrapa é muito maior do que uma gestão ou um governo, e merece respeito”, disse Marcus Vinícius.

TODOS OS RESULTADOS

A consulta foi realizada por meio do sistema Vota Bem, com questionário virtual enviado aos e-mails corporativos de todos/as os/as trabalhadores/as da Unidade Meio-Norte, e teve 60,33% de adesão, ou seja, 146 votantes num universo de 242.

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco