Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário

Campanha “Se é público é para todos” será lançada no dia 6 de junho, segunda-feira, no Rio de Janeiro

2 de junho de 2016

Com participações de intelectuais, sindicalistas, movimentos sociais, partidos políticos e demais setores da sociedade civil organizada, o Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas promove tarde de palestras, debates e ato político- cultural no dia 6 de junho (segunda-feira) na Fundição Progresso – Rio de Janeiro. O encontro marca o lançamento da campanha “Se é público é para todos”, criada para envolver os brasileiros no debate sobre a valorização do que é público: empresas, educação, cultura, saúde, espaços, entre outros bens e direitos ameaçados pela agenda neoliberal que avança a passos largos no país. 

Com o tema “O que é público para você?”, o evento começa às 14h30 e será encerrado com show do grupo Casuarina a partir das 21h. Os convidados das mesas são: a filósofa Marcia Tiburi, o cientista político Emir Sader, o advogado e professor de direito tributário Ricardo Lodi, o economista e fundador do MST João Pedro Stédile, o geólogo e ex-diretor da Petrobras Guilherme Estrella, o secretário de Relações Internacionais e Movimentos Sociais da FUP João Antônio de Moraes; além de lideranças partidárias como o senador Lindbergh Farias (PT – RJ) e a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB – RJ); o presidente da Contraf – CUT Roberto von der Osten e a coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas Maria Rita Serrano. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa do ato político-cultural após os debates.

A campanha “Se é público é para todos”, desenvolvida pelo Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, pretende mostrar que defender o que é público é defender o Brasil e, assim, reunir os mais diversos setores da sociedade, trabalhadores e usuários de bens, espaços e serviços públicos, fortalecendo alianças entre setores progressistas e democráticos. “Embora o comitê tenha como prioridade as empresas públicas, e tenha nascido da luta contra projetos que as ameaçam (PLS 555, atual PL 4918, entre outros), nossa intenção é ampliar esse debate e a defesa a todos os segmentos da sociedade”, explica Maria Rita Serrano.

De acordo com o presidente do SINPAF, Julio Guerra, essa discussão é extremamente importante para todos os trabalhadores que fazem parte da base do SINPAF. “Diante das últimas declarações do atual governo sobre privatizações, necessitamos retomar a mobilização contra o PL 4918 e outros que tramitam pelo Congresso Nacional”, destaca.

O SINPAF faz parte Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas e participa ativamente de todas as articulações no Congresso Nacional em Brasília.

Projetos em tramitação – Entre os pontos discutidos no encontro estão os projetos de lei que trazem ameaças às estatais, inclusive à Embrapa, e ao setor público de forma geral. Entre eles, o PLS 555, que transformaria as estatais em sociedades anônimas e traria a proibição de que representantes sindicais e/ou políticos participassem de seus conselhos.

O projeto, que agora segue na Câmara dos Deputados como PL 4918, abre portas à privatização das empresas públicas. Além das estatais, estarão em foco na campanha o espaço público, a saúde, a educação, a comunicação e a cultura, com geração de propostas que serão difundidas nas redes sociais e imprensa.

O PLP 268, que ameaça representação dos trabalhadores nos fundos de pensão, conquista histórica alcançada na década de 1970,  também será discutido, bem como a alteração na lei que garante à Petrobras participação obrigatória na exploração do petróleo da camada do pré-sal. Há outras propostas em tramitação que ameaçam diversos setores da esfera pública e, diante deste quadro preocupante, a campanha torna-se ainda mais importante e necessária.

Serviço
Lançamento da campanha “Se é público é para todos” 
6 de junho (segunda-feira) das 14h30 às 21h
Ato político-cultural: 19h30
Fundição Progresso | R. dos Arcos, 24 – Lapa, Rio de Janeiro – RJ | (21) 3212-0800
Classificação: livre | Entrada franca – sujeito a lotação do espaço

 

Com informações do Comitê

 

Leia mais